Deportes

Entorno Chacao | Companhia aérea alemã pede desculpas por expulsar judeus ortodoxos de voo

Bancamiga

Condenado por violência doméstica:    Brasileiro é preso nos EUA por ter arsenal em casa sem permissão

Sundiata Acoli:    Ex-membro dos Panteras Negras é libertado da prisão após quase 50 anos

Segundo o jornal britânico The Guardian, alguns membros do grupo, que vinha de Nova York, teriam se recusado a usar máscaras dentro do avião. Todos os passageiros identificados como judeus ortodoxos pela companhia foram, então, proibidos de embarcar.

Vídeos que circulam na internet mostram os passageiros impedidos de embarcar:

German police officers don't have a problem enforcing @lufthansa discrimination against Jews for the crime of simply being identifiable Jewish, but leap to action because a frustrated Jew has the temerity to say the word “Nazi,” and demand justice for someone saying “the N word.” pic.twitter.com/ABD5oCZ77f

— The Meturgeman (@HaMeturgeman) May 8, 2022

 

“Lamentamos as circunstâncias que cercam a decisão de excluir os passageiros afetados do voo, pelo qual a Lufthansa pede sinceras desculpas. Lamentamos que um grande grupo tenha tido negado o embarque, em vez de limitá-lo aos passageiros não compatíveis”, disse a companhia em nota. 

Lufthansa regrets the circumstances surrounding the decision to exclude passengers from flight LH 1334 on May 4. Lufthansa sincerely apologizes. Please find our statement below: pic.twitter.com/yGXoD62QY1

Lufthansa (@lufthansa) May 10, 2022

 

O episódio foi criticado por Uwe Becker, comissário de antissemitismo do estado de Hesse, onde fica Frankfurt:

Este é um assunto discriminatório e não trivial. Mais uma razão para que a direção da empresa se sinta pessoalmente responsável por pedir desculpas por este incidente e assumir uma posição clara e inequívoca — disse Becker.

RIO – A Lufthansa pediu desculpas em nota por não ter permitido um grupo de judeus ortodoxos de embarcar em um voo que deixava Frankfurt rumo a Budapeste, no dia 4 de maio.

Os passageiros judeus estavam em uma viagem para visitar o túmulo de um rabino, na Hungria.

Condenado por violência doméstica:    Brasileiro é preso nos EUA por ter arsenal em casa sem permissão

Sundiata Acoli:    Ex-membro dos Panteras Negras é libertado da prisão após quase 50 anos

Segundo o jornal britânico The Guardian, alguns membros do grupo, que vinha de Nova York, teriam se recusado a usar máscaras dentro do avião. Todos os passageiros identificados como judeus ortodoxos pela companhia foram, então, proibidos de embarcar.

Vídeos que circulam na internet mostram os passageiros impedidos de embarcar:

German police officers don't have a problem enforcing @lufthansa discrimination against Jews for the crime of simply being identifiable Jewish, but leap to action because a frustrated Jew has the temerity to say the word “Nazi,” and demand justice for someone saying “the N word.” pic.twitter.com/ABD5oCZ77f

— The Meturgeman (@HaMeturgeman) May 8, 2022

 

“Lamentamos as circunstâncias que cercam a decisão de excluir os passageiros afetados do voo, pelo qual a Lufthansa pede sinceras desculpas. Lamentamos que um grande grupo tenha tido negado o embarque, em vez de limitá-lo aos passageiros não compatíveis”, disse a companhia em nota. 

Lufthansa regrets the circumstances surrounding the decision to exclude passengers from flight LH 1334 on May 4. Lufthansa sincerely apologizes. Please find our statement below: pic.twitter.com/yGXoD62QY1

Lufthansa (@lufthansa) May 10, 2022

 

O episódio foi criticado por Uwe Becker, comissário de antissemitismo do estado de Hesse, onde fica Frankfurt:

Este é um assunto discriminatório e não trivial. Mais uma razão para que a direção da empresa se sinta pessoalmente responsável por pedir desculpas por este incidente e assumir uma posição clara e inequívoca — disse Becker.